Sexta-feira, 17 de agosto de 2018 - R.C. de Curitiba Oeste - Distrito 4730 - © 2013
   | | | | |
 
   
Rotary Club de Curitiba Oeste Rotary Club de Curitiba Oeste

Rotary Club de Curitiba Oeste Tudo sobre Rotary Rotary Club de Curitiba Oeste Notícia do Curitiba Oeste Rotary Club de Curitiba Oeste Notícias e Informações

 

Rubens Meister recebe o Pritaneu 1997

28/10/1997

Rubens Meister - Pritaneu 1997
Rubens Meister mudou a paisagem de Curitiba

Em almoço muito concorrido e em meio a muita emoção e alegria, o Rotary Club de Curitiba Oeste concedeu ao Engenheiro Rubens Meister o Título de Pritane 1997, parte de um programa denominado Pritaneu que anualmente no mês de Outubro agracia Profissionais Notórios que apresentaram e apresentam boa reputação e ilibada conduta, no campo das atividades econômicas e sociais, públicas ou privadas.

O referido título pode ser concedido a qualquer pessoa indicada para membro do Pritaneu pelos Companheiros do Oeste e referendada pelo seu Conselho Diretor, preferencialmente a pessoas não tenham a condição de Rotariano.

O engenheiro Rubens Meister protagonizou um dos capítulos mais importantes da cultura paranaense: a adesão à arquitetura modernista, movimento que converteu o estado, então conhecido pelas lavouras de café, como modelo de urbanismo.

O Título Pritaneu foi uma inspiração do Diretor de RI 1983/1985 Guido Arzua, em 1990. De lá para cá já foram agraciadas as seguintes personalidades de nossa sociedade:

em 1990 o Pastor e Professor OSWALDO SOEIRO EMRICH e o Professor Dr. RICARDO PASQUINI;

em 1991 a segunda edição do Programa foi CANCELADA devido ao não comparecimento do Gov. Jaime Lerner;

em 1992 o Professor Dr. JULIO CEZAR UILI COELHO e a Professora MARIA DE LOURDES CANZIANI;

em 1993 o Empresário Dr. FRANCISCO CUNHA PEREIRA Fº e o Médico e Prof. LUIZ ROBERTO GOMES VIALLE;

em 1994 o Botânico e Prof. GERDT G. HATSCHBACH;

em 1995 o Engº Agrônomo HELIO PIMENTEL;

em 1996 a Prof. e Poetisa HELENA KOLODY;

e finalmente em 1997 o Engº Arquiteto RUBENS MEISTER;

Para instituição deste notável programa, o Companheiro Guido inspirou-se na Grécia antiga, onde havia uma instituição denominada Pritaneu. Era o lugar de reunião dos Pritanes, acompanhados de grande número de funcionários públicos e certos cidadãos, a quem se concedia tal privilégio em recompensa pôr expressivos serviços prestados à Pátria. Por extensão, o Pritaneu era um estabelecimento fundado em favor dos Beneméritos da Pátria.

Parabéns Rubens Meister pelo notável legado que deixa aos Curitibanos.

 

CONHEÇA UM POUCO DE RUBENS MEISTER

O engenheiro foi protagonista de um dos capítulos mais importantes da cultura paranaense: a adesão à arquitetura modernista, movimento que converteu o estado, então conhecido pelas lavouras de café, como modelo de urbanismo. Estudiosos como o arquiteto Salvador Gnoato e o historiador Marcelo Sutil – autores de Rubens Meister, Vida e Arquitetura (Travessa dos Editores, 2005) investigam os caminhos que levaram o jovem Meister a aderir a uma estética pouco valorizada na Curitiba pequena e provinciana onde cresceu, povoada de casarões ecléticos e emperiquitados.

Rubens Meister teve formação refinada. De família suíço-alemã emigrada para o Paraná em meados do século 19, foi alfabetizado em alemão e teve acesso a livros publicados na Europa. Nasceu em Botucatu, São Paulo, em 1922 – ano da Semana de Arte Moderna –, mas foi criado nos pinheirais. Chegou a estudar no Rio de Janeiro, mas voltou para casa, com a vantagem de não ter experimentado nenhuma das restrições étnicas que vigoraram durante a Segunda Guerra Mundial. Em 1947, recém-diplomado e com apenas 25 anos, seu patrimônio intelectual fez a diferença: apresentou um arrojado projeto para o Teatro Guaíra, cuja nova sede marcaria, dali a alguns anos, o Centenário da Emancipação Política do estado.

É, com folga, o episódio épico da vida do reservado Meister. Um júri conservador lhe deu o terceiro lugar, o que desgostou o governador Bento Munhoz da Rocha Neto. Contra o consenso, Bento elegeu a proposta de Rubens, formando uma das melhores dobradinhas do século, nublada apena pela construção de Brasília, muito mais badalada. O que o engenheiro não imaginava, decerto, é que o prêmio lhe consumiria 25 anos de trabalho, o que nas devidas proporções faz lembrar a saga dos construtores das catedrais góticas.

Em 1974, quando o Teatro Guaíra foi finalmente inaugurado – sendo apontado como um dos melhores do mundo –, seu idealizador já tinha dividido em dois a história da arquitetura no estado. Tinha ajudado a criar o curso de Arquitetura da UFPR, influenciado uma geração – a mesma dos superlativos Vilanova Artigas, Elgson Ribeiro, Lolô Cornelsen e Romeu Paulo da Costa –, e acumulado um portfólio de respeito. Como salienta Salvador Gnoato, o Guaíra fez de Meister um profissional completo, capaz de responder pelo desenho, pela estrutura, pela acústica e visibilidade. “Não houve amargura pela demora. Ele era dedicado e não fez dos 25 anos um peso”, acrescenta Paulo Luz Marques.

O selo de qualidade Meister pode ser conferido em uma andança pela cidade: tanto na Rodo­ferroviária quanto na Fiep, para citar dois endereços, vigora o estilo econômico, severo, mas com acabamento à prova do tempo. “Era rigoroso na construção e no conforto, embora avesso a luxo. Tinha escrúpulo. Basta sentar numa das salas do Centro Po litécnico para saber”, comenta Salvador. Tanto é que resistiu bravamente à moda “brutalista”, na qual o despojamento moderno passou a ser sinônimo de excesso de concreto aparente. A essa altura, já era um clássico, entendia de mercado e não deixou de ser procurado pelos gestores públicos e empreendedores em busca de projetos que desafiassem o tempo.

“As esquinas do Meister se tornaram célebres”, ilustra o historiador Marcelo Sutil. Ele não se refere apenas ao Sesc da Esquina, trabalho das safras mais recentes, mas a conjuntos na Marechal Deodoro com a Barão do Rio Branco e Marechal com Marechal, onde está o portentoso prédio da Caixa Econômica Federal.

A Fundação da Unidade Rotária também deve o seu projeto a Rubens Meister, que doou o mesmo graciosamente aos rotarianos.

  Voltar
Leia mais [+]
Leia mais [+]
Leia mais [+]
Leia mais [+]
Leia mais [+]
Leia mais [+]
Leia mais [+]
Leia mais [+]
[+] Lista Completa de Notícias
"Ausente a Cultura, prevalece a força da ignorância." João Darcy Ruggeri