Sexta-feira, 17 de agosto de 2018 - R.C. de Curitiba Oeste - Distrito 4730 - © 2013
   | | | | |
 
   
Rotary Club de Curitiba Oeste Rotary Club de Curitiba Oeste

Rotary Club de Curitiba Oeste Tudo sobre Rotary Rotary Club de Curitiba Oeste Notícia do Curitiba Oeste Rotary Club de Curitiba Oeste Notícias e Informações

 

Pasquini e Emrich são os Pritanes 1990

30/10/1990

Ricardo Pasquini e Oswaldo Soeiro - Pritanes 1990Em almoço muito concorrido e em meio a muita emoção e alegria, o Rotary Club de Curitiba Oeste concedeu ao Pastor e Professor Oswaldo Soeiro Emrich e ao Médico Dr. Ricardo Pasquini, o Título de Pritanes 1990, parte de um programa denominado Pritaneu que anualmente no mês de Outubro agracia Profissionais Notórios que apresentaram e apresentam boa reputação e ilibada conduta, no campo das atividades econômicas e sociais, públicas ou privadas.

O referido título pode ser concedido a qualquer pessoa indicada para membro do Pritaneu pelos Companheiros do Oeste e referendada pelo seu Conselho Diretor, preferencialmente a pessoas não tenham a condição de Rotariano. Porém, neste ano a indicação recaiu sobre este nobre Companheiro que, dentre inúmeros e importantes títulos, recebeu a mais alta comenda de Rotary International - "Service Above Itself" (serviço acima de si mesmo).

Os agraciados por vezes emocionam a compenetrada platéia, ao fazerem referências à situações de suas vidas, as quais foram determinantes para a concessão do Prêmio.

O Título Pritaneu foi uma inspiração do Diretor de RI 1983/1985 Guido Arzua, em 1990, sendo que os primeiros agraciados com a indicação foram o Pastor e Professor OSWALDO SOEIRO EMRICH e o Professor Dr. RICARDO PASQUINI.

Para instituição deste notável programa, o Companheiro Guido inspirou-se na Grécia antiga, onde havia uma instituição denominada Pritaneu. Era o lugar de reunião dos Pritanes, acompanhados de grande número de funcionários públicos e certos cidadãos, a quem se concedia tal privilégio em recompensa pôr expressivos serviços prestados à Pátria. Por extensão, o Pritaneu era um estabelecimento fundado em favor dos Beneméritos da Pátria.

Conheça um pouco do Pastor Oswaldo Soeiro Emrich

Em 19 de março de 1950, aos 33 anos, ele foi eleito pastor da Igreja Presbiteriana de Curitiba, na qual serviu durante quase 58 anos, 25 como pastor efetivo e 33 como pastor emérito. De espírito conciliador, buscou não só pacificar sua própria congregação, mas promover a fraternidade no ambiente evangélico e cristão da capital paranaense. As duras provações que sofreu, como a perda de três filhos já adultos, o qualificaram de modo especial para o ministério de aconselhamento, que exerceu de modo zeloso e eficiente, beneficiando centenas de famílias. Será especialmente lembrado pelos seus admiráveis dotes como pregador. Alto, magro, simpático e dotado de uma belíssima voz, sua presença era sempre cativante. Seus sermões, profundamente bíblicos e cristocêntricos, partiam do fundo da alma e eram entremeados das mais vívidas ilustrações, muitas vezes retiradas da sua própria experiência pessoal e pastoral. Causava profunda impressão nos ouvintes ao realizar atos pastorais como batismos, casamentos e cerimônias fúnebres, demonstrando impressionante conhecimento das pessoas e famílias envolvidas. Foi verdadeiro pastor, no sentido mais pleno da palavra.

Durante décadas, destacou-se como o grande líder do presbiterianismo no Paraná e no sul do Brasil. Por diversas vezes, representou o seu presbitério em reuniões do Sínodo Meridional e compareceu a duas reuniões do Supremo Concílio (Copacabana e Recife). Em Curitiba, foi presidente da Sociedade Evangélica Beneficente, entidade que criou o Hospital Evangélico, do qual foi dedicado capelão durante 20 anos. Foi ainda membro do Conselho de Pastores de Curitiba, ligado à Confederação Evangélica do Brasil, e participou da Sociedade Bíblica do Brasil.

VIDA DEDICADA A CRISTO E À IPB DESDE O INÍCIO

Oswaldo nasceu em Lavras (MG) no dia 7 de dezembro de 1917, sendo seus pais Oswaldo Tertuliano Emrich (1888-1977) e Eraydes Soeiro Emrich (1896-1974). O avô paterno, Júlio Emrich, era natural de Bom Jardim (RJ), de onde, por influência de missionários norte-americanos, mudou-se para Lavras por volta de 1907 com a esposa, Clara Werner Emrich, e os filhos Teodomiro, Oswaldo, Teódulo, Ranulfo, Otília, Erasto e Lóide. Dona Eraydes Barcelos Soeiro nasceu em Bagé (RS). Tendo perdido os pais em Florianópolis, a capital catarinense, ela e os irmãos ficaram sob os cuidados de um tenente. Por meio de missionários como Roberto Frederico Lenington, foram para o Ginásio Evangélico de Lavras, sendo acolhidos por d. Clara Gammon. O casal trabalhou na Escola de Agricultura e em outros setores do Instituto Gammon.

O menino Oswaldo foi batizado em fevereiro de 1918 pelo tio, rev. Teodomiro Emerique, quando da reunião da Assembléia Geral da IPB em Lavras. Na ocasião, foi consagrado por seus pais ao ministério. Em 1930, professou a fé em Cristo na Igreja Presbiteriana de Lavras e, em 1934, em Campo Belo (MG), foi apresentado ao Presbitério Sul de Minas como candidato ao ministério. Estudou no Seminário Presbiteriano do Sul, em Campinas (SP), de 1935 a 1939, tendo sido licenciado em Belo Horizonte em janeiro de 1940 e ordenado em São João Del Rei (MG) no dia 14 de julho do mesmo ano.

Pastoreou a Igreja de São João Del Rei até dezembro de 1941. Pouco antes, no dia 15 de novembro, casou-se em Campinas com a jovem Mercedes Ruiz, nascida em 2 de janeiro de 1921. Pastoreou a Igreja de Campo Belo de janeiro de 1942 a dezembro de 1949, tendo ainda dado assistência às igrejas de Barroso, Perdões, Nepomuceno e Piumhi, cidades mineiras. Na década de 40, liderou a campanha financeira em prol do Seminário de Campinas. O casal Emrich teve quatro filhos: Nilman Ruiz Emrich (nascido em 1942), Norman Ruiz Emrich (1946), Nísia Emrich Thiede (1949) e Nélia Ruiz Emrich Zanetti (1956). Dona Mercedes faleceu em 27 de agosto de 2006.

 

Conheça um pouco do Dr. Ricardo Pasquini

Não se pode falar em transplante de medula óssea no Brasil sem pensar no Professor Ricardo Pasquini, como referência. Professor Titular do Departamento de Clínica Médica da Universidade Federal do Paraná, o professor Pasquini foi o pioneiro na realização de transplantes de medula óssea no país e começou a utilizar esta modalidade terapêutica em 1979. Neste período realizou aproximadamente 1.700 transplantes, a grande maioria alogeneicos, e é responsável pelo maior número de transplantes de anemia aplástica (420) e anemia de Fanconi (160) em todo o mundo. Ele se formou em medicina, pela Universidade Federal do Paraná, em 1962.

Além disso, foi o precursor do transplante com doadores não aparentados de medula óssea e de sangue de cordão umbilical no país, e já realizou, até o momento, 250 procedimentos. O Professor Pasquini sempre procurou transmitir seus conhecimentos para outros profissionais e é o responsável pelo treinamento de grande parte dos especialistas em transplantes de medula óssea que atuam no Brasil e em muitos países da América Latina.

Profissional dedicado à ciência, o Professor Pasquini mantém uma grande atividade na área da pesquisa, e até hoje orientou 26 dissertações de mestrado e teses de doutorado e já publicou 85 artigos. Atualmente é um dos editores do Compêndio Hematologia: Fundamentos e Prática e já apresentou 388 comunicações em congressos nacionais e internacionais.

  Voltar
Leia mais [+]
Leia mais [+]
Leia mais [+]
Leia mais [+]
Leia mais [+]
Leia mais [+]
Leia mais [+]
Leia mais [+]
[+] Lista Completa de Notícias
"Ausente a Cultura, prevalece a força da ignorância." João Darcy Ruggeri